Menu
DRUMMOND: O VELHO E O NOVO

DRUMMOND: O VELHO E O NOVO

com Noemi Jaffe e João Bandeira

Manuel Bandeira, Mario de Andrade e vários estudiosos da obra de Drummond apontaram os contrastes que atravessam sua poesia. Conhecedor das vanguardas assim como dos clássicos literários, nos seus vários livros – de ‘Alguma Poesia’ (1930) até ‘Farewell’ (1996) – o poeta modulou sua linguagem ao longo do tempo com um olho na renovação e outro no que as tradições poéticas podiam oferecer.

Através de poemas selecionados, a proposta deste curso é percorrer a sua obra, destacando de que maneira tradição e invenção se interpenetram nas formas e nos temas da sua poesia, e tendo como pano de fundo as mudanças no país a que Drummond esteve atento enquanto escrevia seus livros, entre as décadas de 1930 e 1980. As ‘inquietudes’ (como disse Antonio Candido) da poesia de Drummond estão também no constante casamento do velho e do novo, nem sempre percebido por seus leitores.

Datas

13, 20, 27 de janeiro
e 3 de fevereiro, quartas

Horário

10 às 12h

Plataforma

Zoom

Atenção: Até 2h antes do início do curso você receberá as informações de acesso por e-mail.

De: R$ 390
Por:
R$ 330 4x sem juros no cartão de crédito

Inscrições encerradas

Noemi Jaffe é pós-graduada em Teoria Literária pela USP, autora de, entre outros, ‘A Verdadeira História do Alfabeto’ (Companhia das Letras, 2012, prêmio Brasília de Literatura), ‘O Que os Cegos Estão Sonhando?’ (Ed. 34, 2012), ‘O Livro dos Começos’ (Cosac Naify, 2015), ‘Não Está Mais Aqui Quem Falou’ (Companhia das Letras, 2017, prêmio Biblioteca Nacional) e ‘O Que Ela Sussurra’ (Companhia das Letras, 2020).

 

João Bandeira é pós-graduado em Letras pela USP. Escreve poesia e ensaios sobre literatura, música e artes visuais. Autor de livros de poemas como ‘Rente’ (Ateliê, 1997) e ‘Quem Quando Queira’ (Cosac Naify, 2015), tem seus textos publicados também em catálogos de exposição (de artistas como Antonio Dias, Cildo Meireles, Nuno Ramos) e revistas como ‘Serrote’, ‘Zum’ e ‘Suplemento Pernambuco’.