Menu
A ESCRITA DO DIÁRIO COMO CAMPO DE EXPERIMENTAÇÃO

A ESCRITA DO DIÁRIO COMO CAMPO DE EXPERIMENTAÇÃO

com Ingrid Fagundez

Os diários são muitas vezes encarados como espaços de exercício narcísico. Mas quando usados para fins criativos revelam-se um campo de desenvolvimento da subjetividade e de exploração poética dos eventos do dia a dia, resultando num olhar que consegue distinguir o universal situado entre o particular e o mundano. 

As aulas examinam diários de escritores como Virginia Woolf, André Gide, Franz Kafka, Anais Nïn e Carolina Maria de Jesus, comparados a outros de seus trabalhos publicados. Repassam também a história do gênero como lugar de experimentação estilística e de maturação de um ‘eu’ que, em vez de apenas relatar acontecimentos, pode interpretá-los e metaforizá-los, treinando sua voz e capacidade narrativas. A partir da leitura e discussão de passagens selecionadas daqueles autores, os participantes são convidados a trabalhar seus próprios diários, indo mais além da imagem desse tipo de texto como ‘umbiguismo’ ou mero desabafo.  

Datas

14, 21, 28 de outubro
e 4 de novembro, quintas

Horário

19h30 às 21h30

Plataforma

Zoom

Atenção: Até 2h antes do início do curso você receberá as informações de acesso por e-mail.

De: R$ 390
Por:
R$ 330
5x sem juros no cartão de crédito

As Vagas já se esgotaram...

Mas você pode se inscrever na Lista de Espera, e caso abra uma vaga nós te avisamos:

Ingrid Fagundez é formada em Jornalismo pela UFSC e pós-graduada em Biografia e Gêneros de Não Ficção pela University of East Anglia. Foi repórter da Folha de S. Paulo e do serviço brasileiro da BBC, escrevendo sobre política e comportamento. Atualmente é professora de não ficção literária da pós-graduação em formação de escritores do Instituto Vera Cruz.